top of page
28032021-F12.jpg

QUEM SOU?

Gosto de desenhar desde que me lembro. O bichinho da fotografia também lá estava cedo. E até o design, quando ainda nem sabia o que isso era, esteve presente na minha infância. Hoje, entendo aquele meu gosto por desenhar as capas das cassetes VHS com os filmes que gravávamos da televisão, ou passar a limpo os cadernos da escola, quase diariamente, para ficar mais bonito e organizado, ou quando me entretinha a fazer postais para tentar vender por cinco escudos a quem passava no centro comercial perto de minha casa. 

 

Pensava que queria ser pintora, porque para mim, com poucos anos de idade, um artista era um pintor, e ponto final. O mais engraçado é que até nem é o que mais gosto de fazer, pintar. Mas o que importa é que desde sempre soube qual era a direção que queria tomar, até descobrir o design gráfico e perceber que tinha chegado ao sítio certo.

 

26992121_1727828310571734_32669066924553
27164545_1727828167238415_49635986335358
36541213_10157707672824517_1714672294569

Houve sempre um quarto bichinho: a música. Não posso dizer que tenho um grande talento nessa área, mas durante a minha formação académica, apercebi-me de que procurava sempre trabalhar a música como tema dos meus projetos de design. Se o tema era livre, essa era sempre a minha escolha. Em 2014, tive a oportunidade de começar a trabalhar como designer no Hard Club. Durante quatro anos vivi a experiência que ambicionava enquanto estudava, um trabalho aliado à música e ao espetáculo, e num sítio que eu adorava. Desde então, tenho estado ligada a projetos e espaços culturais, como o GrETUA, o Teatro Aveirense ou o Avenida Café-Concerto. Nestes espaços, tenho tido também oportunidades incríveis de evoluir na Fotografia de concerto e espetáculo - que sempre me fascinou. 

 

A Grafonola surgiu em 2009 quando comecei a fazer os meus primeiros trabalhos como freelancer e quis ter um nome artístico. Como Grafonola, tenho trabalhado e crescido com pessoas e em projetos incríveis. A minha versatilidade e capacidade de adaptação, permitiu-me divertir e gostar sempre de trabalhar nestas áreas, mesmo em coisas que fogem da minha zona de conforto. 

 

Posso dizer que sou uma "pintora" feliz.

 

CURRICULUM

VITAE

CHECK IT OUT

bottom of page